.

 

 

 

     

Santa Teresinha do Menino Jesus

 

                                      

 

                                     

SALVE SANTA TERESINHA!

NOSSA QUERIDA SANTINHA!

  

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo...

Para sempre seja louvado!

 

 

Santa Teresinha nasceu em 1873, em Alençon, França. Entrou adolescente para o Mosteiro das Carmelitas de Lisieux, onde se distinguiu, particularmente, pela humildade, simplicidade evangélica e confiança em Deus e, estas virtudes, ensinou-as às noviças, com seu exemplo e palavras.

 

Morreu no dia 30 de setembro de 1897, oferecendo sua vida pela salvação das almas e incremento da Igreja. Foi canonizada por PIO XI a 17 de maio de 1923 e proclamada Padroeira das missões a 14 de dezembro de 1927.

 

PÉTALAS DE ROSAS

 

  1. A graça que Vos peço, Senhor, a única, é de não Vos ofender jamais, jamais.

  2. Meu Deus, eu escolho tudo, não quero ser santa pela metade. Não receio sofrer por Vós. Só temo uma coisa, é a minha vontade própria.

  3. O único meio de realizar rápidos progressos no caminho do amor, é permanecer pequenina. Assim faço eu. Por isso agora, feliz, posso entoar com meu Pai, São João da Cruz, o Cântico que diz assim: “Reduzindo-me tão baixo, tão baixo, soergui-me tão alto, que cheguei a alcançar o meu intento, o que eu queria”.

  4. As almas pequeninas são as “flores dos campos”, cuja simplicidade arrebata o Senhor que mostra a sua Grandeza infinita descendo até elas.

  5. Como é imenso o poder da Oração! Dir-se-ia uma Rainha que tem sempre entrada livre para junto do Rei e que pode alcançar tudo o que pede.

  6. Não é para ficar no Cibório de ouro, que Jesus desce cada dia do Céu, mas sim para achar outro Céu, o céu da nossa alma, onde Ele toma e encontra suas delícias.

  7. Visto que eu pertencia a Jesus, como seu brinquedinho de criança, para o consolar e o alegrar, eu não o devia forçar a realizar a minha vontade ao invés da DELE.

  8. A CARIDADE entrou no meu coração com a necessidade de me esquecer de mim mesma e sempre. Desde então eu fui feliz.

  9. Eu entendi perfeitamente que sem o AMOR todas as obras são nulas, são nada. Até mesmo as obras mais brilhantes.

  10. Almas Cristãs, servi a Deus, com paz e alegria. Lembrai-vos que o nosso Deus é o Deus da Paz.

  11. Uma palavra, um sorriso amável bastam por vezes, para desanuviar uma alma triste e ferida.

  12. Para mim a Oração é um arfar de coração, é um simples olhar volvido para o Céu, é um grito de gratidão e de amor, tanto no meio da provação, quanto no auge da alegria. É algo de elevado, de sobrenatural que dilata a alma e a une a Deus.

  13. Visto que Jesus subiu ao Céu, eu não posso seguir o Senhor senão trilhando os passos que ELE deixou: BELÉM, NAZARÉ, CALVÁRIO. Luminosos vestígios! Divinamente embalsamados!

  14. Oh! Meu Deus, eu sei perfeitamente: o amor só se paga com Amor. Por isso é que encontrei o meio de contentar meu coração, pagando-Vos amor com amor.

  15. Cheguei a não poder quase mais sofrer, porque todo o sofrimento me é suave e querido.

  16. Ofereçamos nossos sofrimentos a Jesus para salvar almas.

  17. Se não suportar o sofrimento, minuto por minuto, vejo que me é impossível guardar a paciência...Por isso, não olho e não vejo senão o momento presente, esqueço-me do passado e não considero de modo nenhum o futuro.

  18. Todos os Atributos de Deus me aparecem através do espelho da sua MISERICÓRDIA INFINITA, todos irradiantes de amor. Até a própria JUSTIÇA, talvez mais que os outros Atributos Divinos, parece-me envolta no AMOR INFINITO.

  19. Ó Maria, junto de Vós, é minha alegria ficar pequenina e percebo bem, então, a vaidade das grandezas da terra.

  20. Ah! Se as almas fracas e imperfeitas, como a minha, sentissem o que eu sinto, nenhuma desesperaria em sentir o cume da Montanha do Amor, pois Jesus não reclama grandes ações, mas reclama somente o Abandono e a gratidão.

  21. Ó meu Jesus, eu vos amo. Amo a Igreja minha mãe. Lembro do que diz meu pai São João da Cruz, que o mais diminuto movimento de puro Amor é mais útil à Igreja do que todas as outra obras reunidas.

  22. Jesus, meu Deus e Senhor, amado acima de tudo, não possuo outro meio de vos provar que Vos amo, a não ser esse de espalhar flores, isto é, não deixar passar ocasião nenhuma, nenhum pequeno sacrifício, nenhum olhar, nenhuma palavra, sem vô-lo dar, e aproveitar das menores ações e cumpri-las todas por amor.

  23. A minha alegria é amar o sofrimento, Sorrir, derramando lágrimas. Aceitar com gratidão os espinhos no meio das flores.

  24. Quando a alma se entrega totalmente ao amor de Deus, todas as suas ações, até mesmo as mais indiferentes e comuns, ficam assinaladas com esse sinete divino do Amor.

  25. O Amor pode substituir uma longa vida. Jesus não considera o tempo, pois o divino Senhor é eterno. Ele olha somente para o Amor.

  26. Jesus se apraz em me mostrar o único caminho que leva à fornalha divina do amor de Deus. Este caminho é o abandono da criancinha que adormece, sem receio, nos braços do Pai.

  27. Não existe nada mais suave e feliz do que pensar bem do próximo, ter bom conceito dos outros.

  28. A gente só é consumida pelo amor misericordioso, quando se entrega ao amor.

  29. O que agrada a Deus Nosso Senhor em mim é ver que eu amo a minha pequenez e minha pobreza. É a esperança cega que eu tenho Nele, na sua misericórdia.

  30. É a confiança e somente a confiança que nos deve guiar até o amor.

  31. Viver de amor, na terra, não é fixar a tenda no altar do Tabor. É subir o calvário com Jesus. É considerar a cruz como o próprio tesouro.

  32. O sofrimento pode atingir os extremos limites, mas estou certa de uma coisa: Nosso Senhor não me abandonará nunca.

  33. É certo, Jesus se contenta com um olhar, com um suspiro de amor. Para mim, acho a perfeição bem fácil a praticar, porque compreendi que basta tomar Jesus pelo coração.

  34. Se ficais fiel a Jesus nas pequenas coisas, Ele se achará obrigado de vos ajudar nas grandes.

  35. Quanto mais a gente se aproxima de Deus, mais se torna simples.

  36. Viver de amor é banir todo temor, toda lembrança das faltas passadas. Eis o meu céu... eis o meu destino: VIVER DE AMOR!!!

  37. Morrer será minha felicidade, viver o será ainda, porque não quero senão o que quer o bom Deus, tudo por seu amor.

  38. Pois bem, eu começava minha Via sacra e eis que, de repente, fui tomada por um tão violento amor pelo bom Deus, que não posso explicar senão dizendo que, era como se me tivessem jogado toda inteira no fogo. Oh, que fogo e que doçura ao mesmo tempo! Eu ardia e sentia que um minuto, um segundo a mais, não teria podido suportar aquele ardor sem morrer.

  39. Jesus quer nos fazer beber seu cálice até a última gota...não lhe recusemos nada, ELE tem tanta necessidade de amor e está tão sedento, que espera de nós a gota d’água que deve refrescá-lo.

  40. Quanto a mim, não conheço outro meio para chegar à perfeição a não ser o AMOR...amar, como o nosso coração é bem feito para isso!... Por vezes, busco outra palavra para exprimir o amor, mas na terra do exílio as palavras são impotentes para expressarem todas as vibrações da alma, por isso, é preciso se ater a essa palavra única: AMOR.

  41. O tabernáculo é a casa do amor, onde nossas almas estão enclausuradas.

  42. Saibamos reter prisioneiro esse Deus, que se tornou mendigo do nosso amor.ELE nos mostra que as menores ações feitas por amor são as que encantam seu coração.

  43. Compreendo, agora, que a caridade perfeita consiste em suportar as faltas dos outros, em não se admirar com suas fraquezas, em se edificar com os menores atos de virtude que eles praticam, mas, sobretudo, compreendi que a caridade não deve ficar fechada no fundo do coração: Ninguém, disse Jesus, acende uma lâmpada para pô-lo debaixo da mesa, mas sobre o candelabro, a fim de que ilumine a todos os que estão em casa. Parece-me que essa lâmpada representa a caridade que deve iluminar, alegrar, não somente os que me são mais caros, mas todos aqueles que estão em casa, sem excetuar ninguém.

  44. Morrer de AMOR, eis minha esperança!

  45. Repito como Jô: “De manhã espero não chegar à noite e, de noite, espero não mais rever a manhã”.

  46. Jamais esquecerei a impressão que me fez o mar, não podia parar de olhá-lo sem parar, sua majestade, o barulho das ondas, tudo falava à minha alma da grandeza e da potência do bom Deus.

  47. Quando o diabo consegue afastar uma pessoa da Santa Comunhão, ele ganhou tudo.... e Jesus chora!

  48. Eu o sei, ó meu Deus, vós abaixais a lama orgulhosa, mas àquele que se humilha dais mais uma eternidade de glória. Eu quero, pois, colocar-me no último lugar , partilhar de vossas humilhações, a fim de participar convosco do reino dos Céus.

  49. Compreendi que, se a Igreja tinha um corpo, composto de diferentes membros, o mais necessário, o mais nobre de todos não lhe faltava; compreendi que a igreja tinha um coração e que esse coração era ardente de amor. Compreendi que, só o amor fazia agir os membros da IGREJA.

  50. Eu sou a Filha da igreja e a Igreja é a rainha, pois é esposa, ó divino Rei dos reis...

  51. Oh! Como sou feliz por me ver imperfeita e ter tanta necessidade da misericórdia do bom Deus no memento da morte. Com que gratidão eu canto as misericórdias do Senhor.

  52. Ó meu Deus, Trindade bem-aventurada, desejo vos Amar e vos tornar amada, trabalhar para a glorificação da santa Igreja, salvando as almas que estão neste mundo e livrando aqueles que sofrem no purgatório.

  53. Ah, é oração, é o sacrifício que fazem toda minha força; são as armas invencíveis que Jesus me deu, elas podem, muito mais do que as palavras, tocar as almas, já fiz esta experiência muitas vezes.

  54. É pela oração e pelo sacrifício que se pode ajudar os missionários...

  55. Para mim, a oração é um ela do coração, é um simples olhar lançado em direção ao céu, é um grito de reconhecimento e de amor no meio da provação como também em meio à alegria; é, enfim, algo de grande, de sobrenatural, que me dilata a alma e me une a Jesus.

  56. Ó Jesus, meu Amor... minha vocação, enfim eu a encontrei, minha vocação é o AMOR.

  57. Sim, tudo está bem quando só se procura a vontade de Jesus. Peça ainda a Jesus que eu faça sempre sua vontade, para isso estou pronta a atravessar o mundo... e estou pronta também a morrer!

  58. Seria necessário outra linguagem que não a da terra, para exprimir a beleza do abandono de uma alma nas mãos de Jesus, meu coração só pode balbuciar o que sente.

  59. Não compreenderam que, quando toda alegria do céu vem a um coração, esse coração exilado não pode suportá-lo sem derramar lágrimas.

  60. Jesus, Jesus, se é tão delicioso o desejo de te amar, que será possuir e gozar o TEU AMOR?

  61. Só a caridade pode dilatar meu coração. Ó Jesus, desde que essa doce chama o consome, corro com alegria no caminho de vosso mandamento novo...

  62. Como tenho sede do CÉU, lá onde se amará JESUS sem reserva!... Só no Céu a alegria será perfeita. Sua Teresa só sabe falar a linguagem do céu...

  63. Quando vejo Madalena avançar diante de numerosos convivas e molhar, com suas lágrimas, os pés de seu Mestre adorado, que ela toca pela primeira vez, sinto que seu coração compreendeu os abismos de amor e de misericórdia do coração de Jesus e que, mesmo sendo pecadora como era, esse coração de amor não está somente disposto a perdoá-la, mas ainda a lhe prodigalizar as benesses de sua intimidade divina, a elevá-la aos mais altos cumes da contemplação.

  64. É só Jesus escondido sob os véus da branca hóstia, quem poderá me dar a força, para marchar para a morte... Quando sentir seu divino Coração bater perto do meu, parece-me que o fogo de seu amor me fará suportar, com coragem, o ardor da fogueira...

  65. Façamos de nossa vida um sacrifício contínuo, um martírio de AMOR...

  66. Quando somos incompreendidos, julgados desfavoravelmente, para que se defender se explicar? Deixemos isso para lá, não digamos nada; é tão doce não dizer nada, deixar-se julgar por não importa quem! Não lemos no Evangelho que Santa Madalena tenha se explicado, quando sua irmã a acusava de ficar aos pés de Jesus sem fazer nada. Ela não disse: “Ó Marta, se você soubesse a felicidade que sinto, se você ouvisse as palavras que ouço! E, ademais, foi Jesus quem me disse para ficar aqui”. Não, ela preferiu se calar. Ó bem-aventurado silêncio, que dá tanta paz à alma!

  67. Ó Verbo divino, és tu a Águia adorada que amo e que me fascina!

  68. Jamais fiz como Pilatos, que recusou entender a verdade. Sempre disse ao bom Deus: Ó meu Deus, quero vos ouvir, eu vos suplico, respondei-me quando vos digo humildemente: Que é a verdade? Fazei que eu veja as coisas tais quais elas são, que nada me jogue poeira nos olhos.

  69. Se eu não tivesse verdadeiramente vocação, teria parado desde o início, pois encontrei obstáculos logo quando comecei a responder ao apelo de Jesus.

  70. A propósito da Santíssima Virgem, devo lhe confiar uma das minhas simplicidades com ela. Às vezes, surpreendo-me a lhe dizer: “Mas, minha boa Santíssima Virgem, acho que sou mais feliz do que a senhora, pois eu a tenho por mãe, e a senhora não tem uma santíssima Virgem para amar... É verdade que a senhora é a Mãe de Jesus, mas esse Jesus a senhora nô-lo deu todo inteiro...e ELE, na cruz nô-lo deu por Mãe. Assim, somos mais ricos do que a senhora, pois possuímos Jesus e a senhora é nossa também. Outrora na sua humildade, a senhora desejava ser, um dia, a Mãe de Deus, e eis que eu, pobre criaturinha, não sou serva, mas vossa filha, a senhora é a Mãe de Jesus e a senhora é minha Mãe”. Sem dúvida, a Santíssima Virgem deve rir da minha ingenuidade, contudo, o que lhe digo é bem verdadeiro.

 

 

 

ORAÇÃO A SANTA TERESINHA PELA FAMÍLIA

 

 

Ó Santa Teresinha, anjo tutelar da Família cristã, vós que fostes o raio de sol e o sorriso de vossa família, dignai-vos acolher, debaixo de vossa proteção a minha família que ardentemente recomendo à vossa bondade, que a paz, o sossego e o amor da família alegre também a minha, com a reprodução de todo o bem e de todas as virtudes de que a vossa foi verdadeiro santuário

 

Que o nome de Deus seja adorado e bendito em minha casa, que a santa Lei de Deus e os preceitos da Santa igreja, sejam observados por todos e por cada um.

 

Ó milagrosa santinha, pelo amor terníssimo que tens a Jesus, Maria e José, abençoai a minha família, para que todos se amem e se respeitem. Para que os filhos vejam nos pais, os representantes de Deus. E que os pais vejam nos filhos, o próprio Jesus. Ó Santa Teresinha, fazei que minha família esteja um dia convosco no céu. Amém.

 

 

Pai Nosso – Ave Maria – Glória ao Pai.

 

  

NOVENA DE SANTA TERESINHA DO MENINO JESUS

 

 

Ó Santa Teresinha do menino Jesus, branca e mimosa flor de Jesus e de Maria, que embalsamais o Carmelo e o mundo inteiro com vosso suave perfume, atraí-nos e convosco correremos em seguimento de Jesus nosso deus e único bem, ao caminho da renúncia, do amor e do abandono.

Ó Santa Teresinha, fazei-nos simples e dóceis, humildes e confiantes para com nosso Pai do Céu. Ah! Não permitais que O ofendamos pelo pecado, que O contristemos pela desconfiança! Assisti-nos em todas as aflições; alcançai-nos todas as graças espirituais e temporais, particularmente.....; valei-nos na vida e na morte.

 

Ó Santa Teresinha, lembrai-vos de que prometeste passar o vosso Céu fazendo bem á terra, sem descanso até ver completo o número dos eleitos. Ah! Cumpri em nós vossa promessa: sede nosso anjo protetor na travessia desta vida, e não descanseis até que nos vejais no Céu cantando ao vosso lado, eternamente, as ternuras do Amor Misericordioso do coração de Jesus. Amém.

                                                                                                           (Com aprovação eclesiástica)

 

  

ATO DE OFERECIMENTO

Ato de oferecimento ao amor misericordioso de Deus, composto por Santa Teresinha do Menino Jesus que trazia-o dia e noite sobre seu coração, no livro dos Santos Evangelhos.

   

J. M. +  J. T.

 (Oferecimento de mim mesma, como vítima de holocausto ao Amor misericordioso de Deus)

 

Ó meu Deus, trindade bem-aventurada, desejo amar-vos e fazer-vos amar, trabalhar para a glorificação da Santa Igreja, salvando as almas que estão sobre a terra e libertando as que sofrem no purgatório. Desejo cumprir perfeitamente vossa vontade e chegar ao grau de glória que me preparastes em vosso Reino, numa palavra, desejo ser santa, mas sinto minha impotência e vos peço, ó meu Deus! Sejais vós mesmo minha santidade.

 

Pois que me amastes, a ponto de dar-me vosso filho único para meu salvador e meu esposo, os tesouros infinitos de seus méritos são meus; eu vô-los ofereço com alegria, suplicando-vos que me olheis através da face de Jesus e em seu coração, ardente de amor.

 

Ofereço-vos ainda todos os méritos dos santos (que estão no céu e sobre a terra), seus atos de amor e os dos santos anjos, enfim ofereço-vos, ó bem-aventurada trindade! O amor e os méritos da Santíssima Virgem, minha Mãe querida; é a ela que abandono minha oferta, suplicando-lhe que vô-la apresente. Seu divino Filho, meu esposo bem amado, nos dias de sua vida mortal disse: “Tudo o que pedirdes a meu Pai em meu nome, Ele vô-lo dará”. Portanto, estou certa de que atendereis a meus desejos, eu o sei, ó meu Deus! (quando mais desejais dar, tanto mais fazeis desejar).

 

Sinto em meu coração desejos imensos e é com confiança que vos peço vir tomar posse de minha alma; Ah! Não posso receber a santa Comunhão tão freqüentemente quanto desejo, mas, Senhor, não sois onipotente? ... Ficai, pois, como no tabernáculo, não vos afasteis de vossa hostiazinha...

 

Gostaria de consolar-vos da ingratidão dos maus. Suplico-vos, tirai-me a liberdade de vos desagradar; se por fraqueza cair alguma vez, que logo vosso divino olhar purifique minha alma consumindo todas as imperfeições, como o fogo transforma todas as coisas em si...

 

Agradeço-vos, ó meu Deus! Todas as graças que me concedestes em particular e de me ter feito passar pelo cadinho do sofrimento. É com júbilo que vos contemplarei no último dia, empunhando o cetro da cruz, pois que vos dignastes fazer-me partilhar desta cruz tão preciosa; espero no céu assemelhar-me a vós e ver brilhar em meu corpo glorificado os sagrados estigmas de vossa paixão...

 

Após o exílio desta terra, espero ir gozar de Vós na Pátria, mas não quero acumular méritos para o céu. Desejo trabalhar só por amor, com o único fim de vos agradar, de consolar vosso Sagrado Coração e salvar almas que vos amem eternamente.

 

Na tarde desta vida, comparecerei perante vós, com as mãos vazias, pois não vos peço, Senhor, contar minhas obras. Toda nossa justiça é manchada a vossos olhos. Quero, pois, revestir-me de vossa própria justiça e receber de vosso amor a posse eterna de vós mesmo. Não quero outro trono e outra coroa senão vós, o meu Bem-Amado.

 

O tempo é nada a vossos olhos, um só dia é como mil. Vós podeis, pois, num instante preparar-me para comparecer perante vós...

 

A fim de viver num ato de perfeito amor, OFEREÇO-ME COMO VÍTIMA DE HOLOCAUSTO A VOSSO AMOR MISERICORDIOSO, suplicando-vos me consumais sem cessar, deixando transbordar em minha alma as ondas de ternuras infinitas que em vós estão encerradas, e que assim eu me torne , ó meu Deus, mártir de vosso amor...

 

Que esse martírio, após ter-me preparado para comparecer diante de vós, faça-me afinal morrer, e que minha alma se precipite, sem tardar, no eterno abraço de vosso amor misericordioso...

 

Quero, ó meu Bem-Amado, a cada palpitar de meu coração, renovar este oferecimento um número infinito de vezes, até que, dissipadas as sombras, possa repetir-vos o meu amor no eterno face a face!...

 

  

CONSAGRAÇÃO À SANTA FACE

 

 

Ó face adorável de Jesus! Já que vos dignastes escolher particularmente nossas almas para vos dar a elas, nós vô-las consagramos.

 

Parece-nos, ó Jesus, ouvir-vos dizer: “Abri-me, minhas irmãs, minhas esposas bem-amadas, pois minha face está coberta de orvalho e meus cabelos estão úmidos pelas  gotas da noite”. Nossas almas compreendem vossa linguagem de amor, queremos enxugar vosso doce rosto e consolar-vos do esquecimento dos maus. A seus olhos, sois ainda como escondido... Consideram-vos como um objeto de desprezo!

 

Ó face mais bela do que os lírios e as rosas da primavera! Não estais oculta aos nossos olhos! As lágrimas que velam vosso divino olhar aparecem-nos como diamantes preciosos que desejamos recolher para, com seu valor infinito, comparar as almas de nossos irmãos.

 

Ouvimos a queixa amorosa de vossos lábios adoráveis. Compreendendo que a sede que vos consome é uma sede de amor, desejaríamos possuir um amor infinito para vos desalterar!

 

Esposo bem-amado de nossas almas! Se tivéssemos o amor de todos os corações, todo esse amor seria vosso... Pois bem, dai-nos esse amor, e vinde saciar vossa sede em vossas esposazinhas...

 

Almas, Senhor, dai-nos almas! Sobretudo almas de apóstolos e de mártires, para que, por elas, inflamemos de vosso amor a multidão dos pobres e pecadores.

 

Ó face adorável, havemos de obter de vós essa graça. Esquecendo nosso exílio, às margens do rio da Babilônia, cantaremos as mais doces melodias aos vossos ouvidos. E, porque sois a verdadeira, a única pátria de nossas almas, nossos cânticos não serão cantados em terras estrangeiras.

 

Ó face querida de Jesus! Esperando o dia eterno, em que contemplaremos vossa glória infinita, nosso único desejo é encantar vosso olhos divinos escondendo também nossa face, a fim de que nesta terra ninguém nos possa reconhecer... vosso olhar velado é nosso céu, ó Jesus!

                                                                            (composto por santa Teresinha do Menino Jesus)

 

  

POESIAS DE SANTA TERESINHA DO MENINO JESUS

  

Viver de amor, não é neste degredo

fixar-se no Tabor. É com Jesus

subir pelo calvário, sem ter medo,

e olhar, como maior tesouro, a cruz!

Hei de viver, de gozar lá no empíreo,

então, terá fugido a dor;

mas, cá na terra eu quero em meu martírio,

viver de amor, Jesus, viver de amor!

  

Viver de amor, quando Jesus dormita,

eis o repouso entre os escarcéus!

Senhor, não temas que eu te acorde aflita;

espero em paz o alvorecer dos céus!

Hei de viver, de gozar lá no empíreo,

então, terá fugido a dor;

mas, cá na terra eu quero em meu martírio,

viver de amor, Jesus, viver de amor!

 

Viver de amor é a Deus dar sem medida,

sem o salário nunca reclamar.

É dar amor , vontade, força e vida,

tudo a Jesus para os irmãos salvar!

Hei de viver, de gozar lá no empíreo,

então, terá fugido a dor;

mas, cá na terra eu quero em meu martírio,

viver de amor, Jesus, viver de amor!

 

“TUDO É GRAÇA”      “TUDO POR AMOR’!

(Santa Teresinha)

 

 

Santa Teresinha, é sem dúvida a santa mais conhecida e mais amada pelo povo.

 

Paulo IV, em outubro de 1970, proclamou duas grandes mulheres como doutoras da Igreja. São elas: Santa Teresa de Ávila e Catarina de Sena. Foram as primeiras e as únicas até o dia de hoje.

 

Santa Teresinha do Menino Jesus tem tudo, a nosso ver, para ser proclamada, um dia, também doutora da Igreja.

 

Ademais, a mensagem Teresiana, segundo pronunciamento de Pio X, Bento XV, Pio XI, Pio XII, João XXIII, Paulo VI e João Paulo II, está, mais do que nunca, confirmada como correspondente às necessidades dos tempos atuais.

 

Santa Teresinha havia escolhido o Carmelo unicamente por Deus. Por ELE seria capaz de renunciar a tudo, inclusive a si mesma. Era-lhe suficiente saber que uma coisa agradava a Deus para se dispor a realizá-la mesmo a preço da própria vida.

 

Na verdade, quem conhece mesmo santa Teresinha, não tem nenhuma dúvida a respeito da “maior Santa dos tempos modernos”.

 

 

 

Atendendo  a um pedido da Irmã Teresa de Santo Agostinho, Santa Teresinha, no dia 31 de maio de 1897, compôs alguns versinhos, tão simples quanto deliciosos, que englobam quase tudo o que dissemos sobre sua doutrina do abandono total nos braços do Pai do céu.

 

Nessa poesia, o abandono aparece não como caminho para o amor, mas como “o fruto delicioso do”, o que , na verdade, vem apenas completar nossa explanação, já que quanto mais amor, tanto mais abandono no amante:

  

“Existe nesta terra

Uma árvore maravilhosa

Sua raiz, oh, mistério!

Encontra-se lá nos céus...

 

Jamais sob sua sombra

Algo poderia ferir

Lá sem temer a tempestade

A gente pode repousar.

 

Dessa Árvore inefável

O Amor é o seu nome,

O seu fruto deleitável

Abandono ele se chama.

 

Esse fruto já nessa vida

Me dá a felicidade

Minha alma se alegra

Com seu divino odor.

 

Quando toco nesse fruto

Ele me parece um tesouro

Quando eu levo à minha boca

Ele é mais doce ainda.

 

Ele me dá neste mundo

Um oceano de paz

E nessa paz profunda

Eu repouso para sempre.

 

Só o Abandono me entrega

Nos teus braço, ó Jesus.

É Ele que me faz viver

Da vida dos eleitos.

 

A ti me abandono

Ó meu Esposo divino

E agora só ambiciono

O teu olhar tão doce.

 

Eu quero sorrir para ti

Dormindo sobre teu coração

Quero ainda repetir

Que te amo, ó Senhor!

 

Tal que a bonina

De cálice vermelho

Eu, uma florzinha,

Me abro para o sol.

 

Meu doce sol de vida

Ó meu amável Rei

É a divina Hóstia

Pequenina como eu...

 

E sua celeste chama

O luminoso raio

Faz nascer na minha’alma

O perfeito abandono.

 

Todas as criaturas

Podem me desprezar

Saberei sem murmúrios

Perto de ti, superar.

 

E se tu me desprezas,

Ó meu divino tesouro

Privada de tuas carícias

Mesmo assim quero sorrir.

 

Em paz vou esperar

Doce Jesus, tua volta

E jamais suspenderei

Os meus cânticos de amor.

 

Não, nada me inquieta

Nada pode me turbar

Mais alto que a cotovia

Minha alma sabe voar.

 

Por cima das nuvens

O céu é sempre azul

A gente toca as praias

Onde reina o bom Deus

 

Espero, em paz, a glória

Da celeste morada

Pois encontro no Cibório

O doce fruto do Amor!”

 

 

   Ir para a Página Principal

 
 
 
 
 

.